Menu Paginas

segunda-feira, 30 de março de 2015

Surto alerta, e vacinação é ampliada no Interior

Image-0-Artigo-1824503-1

Iguatu. Desde o ano passado, nove municípios enfrentam surto de sarampo no Ceará. Os casos concentram-se na Capital e em Caucaia. A vacinação foi ampliada até 29 anos de idade. A meta da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) é eliminar até maio a transmissão da doença. No Interior, as autoridades sanitárias permanecem em alerta, incentivam a imunização.

A ampliação da vacinação se deve à alta incidência do sarampo na faixa entre 5 e 29 anos. De acordo com o boletim epidemiológico da Sesa, dos 90 casos confirmados da doença, neste ano, 32,6% ocorreram em crianças de 6 meses a menos de 5 anos; e 55,6% na população acima de 5 a 29 anos. Há, ainda, 49 casos em investigação em 11 municípios: Guaiuba, Trairi, Fortaleza, São Gonçalo do Amarante, Caucaia, Maranguape, Pentecoste, Aracati, Maracanaú, Horizonte e Pacajus.
O Ceará tem nove municípios em surto de sarampo: Fortaleza, Caucaia, Trairi, Itaitinga, Guaiúba, Aquiraz, Pacajus, Maracanaú e Beberibe. Em 2015, Caucaia lidera com 38 casos, e Fortaleza, com 34, em números absolutos. A doença já foi registrada em 37 cidades. Só a vacina protege contra o surto de sarampo, que pode causar pneumonia, problemas na visão, infecção nos ouvidos e pode até matar.
De acordo com a coordenadora de imunização da Sesa, Ana Vilma Braga, a situação mais preocupante continua sendo em Fortaleza e Caucaia. "No Interior, os casos foram reduzidos, isolados. Houve ocorrências em Massapê e Uruburetama, mas sem novos registros", disse. "Estamos vigilantes e quando há suspeita desenvolvemos todas as ações como se fosse um caso confirmado, realizando bloqueios e varreduras".
Equipes
Ana Vilma Braga assegura que todos os postos de Saúde no Interior, tanto na área urbana, quanto na zona rural, dispõem de doses de vacina contra sarampo. "As equipes estão treinadas em todos os municípios", frisou. "Os profissionais de Saúde estão atentos e quando há casos suspeitos a notificação é obrigatória para a vigilância epidemiológica", diz.
A Sesa mantém vigilância ativa nos sintomas: febre, exantema (manchas vermelhas na pele), coriza, tosse. "A nossa preocupação é que ainda há crianças que não foram vacinadas por descuido dos pais ou responsáveis", frisou. "Precisamos que a população dê as mãos, participe dessa mobilização, pois o sarampo é uma doença que pode matar, mas que tem vacina e pode ser evitada". A campanha ampliada vai até 18 de abril próximo.
Não foram registrados óbitos no Estado por sarampo. O melhor caminho para vencer a luta contra o surto da doença é a vacinação. Antes do surto, o esquema recomendado era de aplicação de duas doses. A primeira, com um ano de idade; e a segunda, com um ano e três meses.
Mediante a realidade atual, o Ministério da Saúde recomendou, por meio de norma técnica para o Ceará, a aplicação de três doses, antecipando a primeira para os seis meses e as demais seguindo esquema anterior.
O primeiro caso da doença foi notificado no Natal de 2013. "Foi um presente desagradável", observou Ana Vilma Braga. Em 2014, foram confirmados 698 casos, em vários municípios, mas a ampla maioria concentrada em Fortaleza e Caucaia. Neste ano, são 90 confirmações até sexta-feira passada.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário